Fique por dentro!

Assine e receba notícias sobre os seus assuntos favoritos do Pais em Apuros.

Assine e receba notícias sobre os seus assuntos favoritos do Pais em Apuros.

Papai Jovem – Não suma. Assuma!

Você é um papai jovem ou conhece alguém que vai ser? Então venha conhecer a história do jornalista Guilherme Fuoco, o autor do blog Papai Jovem e do livro “Papai Jovem – Não suma. Assuma”, lançado recentemente pela editora Panda Books.

 

Guilherme descobriu que ia ser pai em 2009, aos 19 anos, e teve dificuldade em encontrar informações sobre a paternidade direcionadas ao público mais jovem. Por isso, três anos após o nascimento da sua filha Laura, o jornalista decidiu criar um blog para compartilhar seus desafios e experiências com outros homens que são e serão pais na juventude.

Após compartilhar tantas histórias na internet, o jornalista decidiu contar suas experiências no livro “Papai Jovem – Não suma. Assuma!”. Com textos inéditos, o livro aborda tudo que um rapaz precisa saber para encarar a paternidade e lidar com uma gravidez não planejada na juventude.

papi jovem livro

O Pais em Apuros bateu um super papo com o Guilherme sobre as dores e as delícias de viver a paternidade na juventude. Confira!

Pais em Apuros: Como foi descobrir que você seria pai aos 19 anos?

Guilherme: A parada é essa: aos 19 anos você não está esperando que isso aconteça. Você tem outros planos, tem outras coisas na cabeça e sua vida acaba mudando completamente. Você tem que mudar o seu cérebro, a sua rotina, tudo. Você tem que se adaptar para entrar bem na vida de pai. É claro que a ficha não cai na hora, ela demora um pouco pra cair e na hora eu só pensei em acalmar a mãe da minha filha, ela ficou desesperada. Quando a situação deu uma tranquilizada nós contamos para os nossos pais e nossos amigos. No começo foi um tanto quanto amedrontador, a gente fica desesperado achando que nossos planos se acabaram, mas com o tempo a gente percebe que as coisas começam a melhorar. Foi uma notícia que me baqueou muito no início. O homem tem um horizonte de filho dos pais, ele não se vê como responsável por alguém, então são muitas questões morais envolvidas e surge aquele pensamento “Eu não sei cuidar nem de mim, como eu vou cuidar de alguém?”.

Pais em Apuros: Como era o relacionamento com a mãe?

Guilherme: Nós já namorávamos há uns cinco anos, era um namoro de colégio. Nós nos separamos quando a Laura tinha um ano e meio, mas nós somos muito amigos, temos um ótimo relacionamento! No começo foi meio difícil separar o ex-namorada de mãe da minha filha, são coisas muito diferentes.  Mas você não pode deixar os problemas de um relacionamento atrapalharem o seu desempenho como pai e mãe, é muito melhor para a criança ter pai e mãe na criação do que ter só um dos dois.

Pais em Apuros: Como foi o processo de amadurecimento por ter se tornado um papai jovem?

Guilherme: Eu sempre tive os meus pais do meu lado, o que foi muito importante. Eles me apoiaram, me deram conselhos, puxões de orelha, e isso foi fundamental nesse processo: ter minha família e meus amigos ao meu lado. Quando se tem essa base de família e amigos te dando o suporte já é um avanço, aí o que resta a fazer é trabalhar e começar a se dedicar a ser um bom pai. E foi isso que eu fiz, eu comecei a ler livros sobre paternidade e educação e percebi como nós somos carentes de informações sobre ser um pai jovem.

Pais em Apuros: O que você tinha de informação sobre paternidade na época?

Guilherme: Nada. Nada mesmo. Mas como eu já estudava jornalismo, e quem é jornalista tem que perguntar, eu ia às consultas e acabei aprendendo muitas coisas com os médicos. Eu também aprendi muita coisa com a minha mãe, higiene feminina, por exemplo, eu não tinha a menor ideia sobre isso. Eu fui aprendendo na raça, eu ficava perguntando pra todo mundo. Eu não tinha grana na época e minha preocupação era sobre os gastos com o parto, então eu fui atrás e achei uma maternidade escola muito boa aqui em São Paulo. É só correr atrás que você vai encontrando respostas.

Laurinha, a filha do Guilherme.
Laurinha, a filha do Guilherme.

Pais em Apuros: Como foi logo após o nascimento da Laura?

Guilherme: Foi muito louco porque quando eu tive essa opção de assumir tudo eu comecei a estudar e a trabalhar muito e isso foi me dando muitos frutos. Eu me dediquei muito a trabalhar para poder dar o melhor para a Laura e isso também foi bom pra mim. Eu consegui meu primeiro emprego na Band como jornalista, depois consegui ir para a Sportv, onde estou até hoje. Depois que eu me tornei pai eu achei que não fosse mais conseguir realizar meus sonhos, ou que eles fossem demorar muito. Mas eu consegui! Depois que a Laura nasceu eu já fui para a Europa duas vezes e isso nunca passou pela minha cabeça. Mas foi por causa de ser pai, de querer ser um bom exemplo pra minha filha, que eu passei a correr atrás e acabei colhendo bons frutos na minha carreira. Não é porque você eu me tornei pai que eu vou viver somente em função da Laura, eu tenho muitos sonhos a serem realizados ainda, inclusive com ela.

Pais em Apuros: Como você faz para conciliar paternidade e carreira?

Guilherme: É, basicamente, acordar bem cedo e dormir tarde. É preciso organizar os horários para poder suprir tudo, existe toda uma preparação para seguir a rotina, hoje em dia o meu celular acaba sendo o meu cérebro, ele me lembra de tudo que eu tenho que fazer. Mas é muito difícil, às vezes a gente se sente culpado por não poder participar de tudo, mas tudo o que fazemos é para dar uma boa educação para os nossos filhos. A gente tem que ir ponderando, ninguém é culpado por correr atrás do que quer, só que temos que aproveitar os momentos de lazer para curtir com eles.

Pais em Apuros: A Laura hoje mora com você, como essa situação se resolveu após a separação?

Guilherme: Ela acabou ficando comigo mais por facilidade, a rotina dela já tinha sido desenhada em volta da minha casa. A babá morava perto, a creche e a escola eram bem perto, e aí aconteceu dela ficar mais na minha casa e nós fomos nos acertando, foi muito natural. A minha mãe nos ajudou muito para que nós pudéssemos trabalhar e ter a nossa rotina no trabalho. Quanto mais pressão e energia ruim você colocar nisso é pior, após a separação tem que ter muito diálogo para que essa situação seja saudável pra todo mundo. É fundamental ter um bom relacionamento após separados! Lógico que no começo foi difícil, eu tinha que respirar fundo, mas hoje estamos todos bem, eu tenho uma namorada que me ajuda e que me entende muito.

A pequena Laura feliz no lançamento do livro.
A pequena Laura feliz no lançamento do livro.

Pais em Apuros: E como é o seu relacionamento com a Laura?

Guilherme: A minha relação com a Laura foi construída desde quando ela era bem pequenininha. Ela gosta muito de esportes, brincava com os meus carrinhos, então não tem segredo, quando você resolve assumir tudo e entra de cabeça na paternidade você acaba desenvolvendo um relacionamento de cumplicidade e confiança e eu só espero que isso aumente, que eu sempre possa ser o melhor amigo da minha filha. Claro que é mais fácil a mãe dela ser a confidente, mas eu quero que ela sempre saiba que ela pode contar comigo pra tudo.

Pais em Apuros: Como surgiu a ideia de criar o blog Papai Jovem?

Guilherme: Eu tive muita dificuldade para encontrar informações sobre a paternidade, e foi aí que eu comecei o blog, porque o que eu encontrei de informação não tinha uma linguagem pro jovem. Se eu tivesse lido o meu blog com certeza teria ficado muito mais calmo, eu teria me ajudado muito. Tudo o que eu conquistei até hoje foi porque eu escolhi ser um pai participativo, porque eu escolhi assumir tudo, e aí eu comecei a contar minhas histórias. Eu criei o blog em 2012 e comecei a conversar com o pessoal, a dar dicas, e o blog começou a tomar uma proporção gigantesca. Os caras começaram a mandar perguntas pra mim! Inclusive o primeiro cara que mandou uma dúvida pra mim, o Leandro, ele foi marcante, foi o primeiro cara que eu consegui ajudar. Eu nem sei quantos caras eu já ajudei, mas eu gosto de fazer isso, é algo benevolente. Às vezes eu não posso responder na hora, mas eu sempre respondo o mais rápido porque geralmente o cara que entrou em contato está desesperado e precisando de uma força.

Guilherme, a namorada Renata e Laurinha.
Guilherme, a namorada Renata e Laurinha.

Pais em Apuros: Os seus leitores te procuram para contar sobre a paternidade antes mesmo de contar para a família e amigos?

Guilherme: Nossa, é o que mais acontece! O cara geralmente entra em contato antes de contar para os amigos e para a família porque às vezes ele não sabe como contar. Eu levo isso muito a sério, quando o ser humano pede ajuda ele está sendo honesto. São muitas coisas envolvidas com a paternidade, muita coisa se passa na cabeça, e eu sempre aconselho o cara a fazer o bem, a assumir o filho. Nós somos jovens, às vezes nós temos um pouco de dificuldade para agir porque nós somos inseguros, mas nós temos que nos arriscar e fazer coisas boas.

Pais em Apuros: E o livro, como ele ganhou vida?

Guilherme: Eu resolvi escrever o livro quando eu consegui convencer um cara a não querer abortar o filho. Quando o cara está desesperado isso passa pela cabeça dele, no Google tem muitas informações sobre formas de abortar, isso é muito bizarro. Isso não quer dizer que o cara é do mal, é o desespero falando mais alto e quando a pessoa esta desesperada ela não pensa com clareza. Aí eu comecei a conversar com ele, a contar sobre a minha vida, sugeri que ele assumisse e ele aceitou meu conselho. A partir daí eu achei que seria uma boa escrever o livro, pois as informações seriam mais centralizadas do que no blog. Aí eu comecei a escrever tudo de novo, sempre tendo em mente ajudar o cara que não sabe o que fazer ou pra quem perguntar e que não tem ninguém para responder suas duvidas. Meu objetivo é que o cara encontre ajuda no livro, que seja o ombro amigo dele e que funcione como uma injeção de motivação. A minha intenção é que o cara pense “Poxa, o Guilherme escreveu um livro que me ajudou muito”, se o livro não ajudar, ele pode me mandar um e-mail que nós vamos conversar.

Acompanhe o blog do Guilherme em https://papaijovem.com.br/
Acompanhe o blog do Guilherme, clique aqui.

Pais em Apuros: O que a paternidade trouxe para o seu lado profissional?

Guilherme: Quando você é pai você aprende a lidar melhor com a rotina no trabalho, você não pode pedir demissão por qualquer motivo, você precisa sustentar o seu filho, e isso te traz mais responsabilidade e paciência. Tem também o fato de que eu aprendi a conversar com a criança e isso ajuda a entrevista-las, é difícil entrevistar criança, então da pra levar essa experiência paterna para a vida profissional também.

Pais em Apuros: Qual o conselho você deixa para os nossos papais jovens?

Guilherme: Nunca desista dos seus próprios sonhos! Quando o cara descobre que vai ser pai ele precisa se dedicar a isso, mas não se pode desistir dos próprios planos, pois são nossos sonhos que fazem nossa vida se alavancar e a levar nossos filhos com a gente. Se você tem um plano que não vai dar pra viver nesse momento, guarda ele que uma hora vai rolar. É importante se dedicar para ser um bom pai, trabalhar duro, viver as festas de aniversario, os passeios, corrigir o seu filho sempre que for necessário, mas não se pode deixar de sonhar. Quando nossos filhos nos veem buscando nossos sonhos eles se sentem inspirados a fazer o mesmo. Não basta dizer ao seu filho para ser uma boa pessoa, é preciso mostrar a ele como ser uma boa pessoa. Se você fizer o bem, vai dar tudo certo!

***

Autor desta Publicação
Rafaella Teixeira
Jornalista, fotógrafa e viajante. Além de viver com a mochila nas costas, gosta de esportes, cultura de qualquer parte do mundo, cinema e música.

Escreva um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
X