Fique por dentro!

Assine e receba notícias sobre os seus assuntos favoritos do Pais em Apuros.

Assine e receba notícias sobre os seus assuntos favoritos do Pais em Apuros.

Música: Uma alternativa saudável no tratamento do TDAH e da hiperatividade

Música cura

Eu estava fazendo umas pesquisas na internet alguns dias atrás sobre os benefícios da música no tratamento de algumas doenças e me deparei com uma matéria de cunho extremamente preocupante, publicada pela revista Veja no ano passado. O título da matéria dizia que o consumo do medicamento Ritalina apresentou um crescimento de inacreditáveis 775% em dez anos!!! Esses dados fazem parte de uma pesquisa feita pelo Instituto de Medicina Social da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

Para quem não conhece esse medicamento, cujo nome científico é metilfenidato, ele é utilizado para o tratamento do transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, também conhecido por TDAH. Os mais afetados pelo TDAH são crianças e adolescentes.

No filme “Escola do Rock” (2003), a criança hiperativa e com déficit de atenção no caso é o professor.

Mais Rita Lee, menos Ritalina

Apesar de uma parcela desse crescimento ser atribuída ao uso indevido do medicamento por pessoas saudáveis que buscam maior rendimento em atividades intelectuais, é fato que o TDAH está muito mais presente em nossos círculos de convivência do que antes.

Tenho alguns alunos em minha escola de música que tem TDAH e eu tenho percebido a eficácia da música como auxilio no tratamento desse transtorno. A prática de aprender e tocar um instrumento proporciona um aumento significativo do foco da criança e do adolescente ao executar uma atividade prazerosa, bem como a canalização da energia oriunda da hiperatividade.

De acordo com um estudo do departamento de neurociência da Universidade McGill, nos Estados Unidos, a atividade musical dispara alguns gatilhos no cérebro para a emissão de dopamina, gerando uma agradável sensação de bem-estar. 

Fredy
No filme “Escola do Rock”, o loirinho Freddy, considerado o aluno “mais burro” da turma, se encontra como individuo com as baquetas na mão e dá um show na bateria.

Outro estudo, dessa vez de uma universidade canadense, prova que tocar um instrumento musical gera uma redução significativa dos níveis de stress, aliviando as pressões que nossos filhos são submetidos hoje em dia devido ao grande número de atividades escolares e fluxo de informações vindo de inúmeras fontes diferentes.

Assim, a atividade musical é extremamente recomendada para crianças e adolescentes diagnosticadas com TDAH, pois ela proporciona melhorias significativas na autoestima, interação, concentração e disciplina através do manuseio dos instrumentos e da prática da música. As aulas devem ser totalmente customizadas, respeitando sempre a tolerância de concentração e foco de cada aluno.

Além disso, a música também proporciona o estímulo dos hemisférios do cérebro a trabalharem juntos para processar os estímulos auditivos, facilitando o funcionamento cognitivo, favorecendo crianças com dificuldades de aprendizagem.

Tocar um instrumento faz bem para o cérebro – Habilite as legendas em português no botão settings/configurações do player do youtube.

Espero ter contribuído de alguma forma para ajudar os pais e mães que estejam enfrentando esse tipo de situação em suas casas. Estou à disposição caso queiram conversar mais sobre esse assunto.

Grande abraço a todos e muito som sempre!

***

Padrim - Pais em Apuros

Clique para doar 🙂 

Autor desta Publicação
Wilson Ricoy
Professor de guitarra e violão há mais de 15 anos e músico profissional. Guitarrista, compositor e produtor musical da banda de blues rock Blue 7.1 e proprietário do Toca da Coruja Estúdio Musical.

Escreva um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This