Fique por dentro!

Assine e receba notícias sobre os seus assuntos favoritos do Pais em Apuros.

Assine e receba notícias sobre os seus assuntos favoritos do Pais em Apuros.

Intercâmbio teen: viajando para aprender

Intercâmbio de férias

Para os pais que querem incentivar os filhos a aprender de vez uma outra língua, fazer um intercâmbio nas férias é uma opção certeira e proporciona ao adolescente um combo de oportunidades, pois além de acelerar o aprendizado, ficar algumas semanas fora de casa vai permitir uma imersão cultural em outro país. Ou seja,  é também uma excelente oportunidade para se obter novas ideias, fazer amigos de outros países e mudar a forma de ver o mundo.

E a gente nem precisa convencer da necessidade de aprender outras línguas, né? Para entender a letra daquela música, para sacar o filme quando a legenda trava, para ter mais chances de trabalho no futuro… as vantagens são inúmeras!

Quer saber como funciona? A gente te conta!

Maria Fernanda Briet, 15 anos, realizou o sonho de conhecer Londres.
Maria Fernanda Briet, 15 anos, realizou o sonho de conhecer Londres.

O intercambio de férias tem duração de duas a oito semanas e é destinado a adolescentes de 12 a 17 anos, que podem aproveitar os meses de Janeiro ou Julho para conhecer e estudar em outro país, se hospedando em casas de família ou alojamentos. Se seu filho está pilhado para viajar, mas você acha ruim que ele vá sozinho, não tem problema: muitas agências especializadas montam grupos para viajar juntos! Além disso, elas oferecem toda o suporte necessário com a documentação, na preparação pré-embarque e durante toda viagem.

“Os pais devem priorizar a segurança dos filhos, pois se trata de um adolescente viajando, muitas vezes ficando longe dos pais pela primeira vez, então é necessário escolher uma agência que ofereça o melhor suporte”, explica o consultor de viagens Marcelo Moreiro, que aconselha os pais a pesquisarem agências que sejam associadas a BELTA (http://www.belta.org.br/), uma associação que garante a qualidade das empresas de intercâmbio.

Não existe idade certa

Aprender um segundo idioma é importante em qualquer idade, mas quanto mais cedo começarem os estudos, melhores serão os resultados. É importante lembrar que a idade não traduz maturidade e nem a forma de enfretar os desafios, e é exatamente por isso que é tão importante avaliar cada caso separadamente quando o assunto é estudar fora.

Portanto, saber qual a melhor idade para fazer intercâmbio não é a pergunta certa. Pergunte-se: O meu filho tem maturidade e responsabilidade o suficiente para viajar para outro país sozinho? A resposta a essa pergunta te mostrará se o seu filho está preparado para enfrentar as mudanças e desfrutar dos aprendizados e descobertas que a experiência do intercâmbio proporciona.

O que levar em conta

Antes de qualquer coisa, os pais precisam confirmar o desejo do adolescente de fazer intercâmbio: o interesse deve ser do jovem e não somente dos pais, ou então  experiência poderá ser trazer efeitos contrários ao que se busca. Outro ponto a se levar em conta é a escolha do destino. “O adolescente deve levar em conta suas preferencias pessoais, escolher um país que ofereça passeios turísticos do seu interesse e que já tenha um conhecimento prévio do idioma, pois assim ele chegará ao destino mais preparado. Mas, o principal mesmo, é entender o que ele está indo fazer pra poder aproveitar cada minuto”, afirma o consultor.

Portanto, avalie bem com o seu filho os gostos dele. Perguntas como “Que tipo de experiência estou procurando?”, “Quero morar na capital ou no interior?” e “Em que tipo de residência quero ficar?” podem ajudar com os primeiros passos.

As palavras de quem já foi

Intercâmbio Teen: Maria Fernanda em Londres
Intercâmbio Teen: Maria Fernanda em Londres

Desde pequena Maria Fernanda Briet, de 15 anos, sonhava em conhecer Londres. Quando começou a estudar inglês, não pensou duas vezes e uniu o útil ao agradável em um intercâmbio de férias, ocorrido em Julho do ano passado. Lá, além de ter aprimorado os conhecimentos no idioma, aproveitou o tempo livre para conhecer os pontos turísticos mais famosos da capital inglesa. “Nos primeiros dias fiquei bastante desorientada, eu entendia o idioma mas a resposta não vinha naturalmente, era preciso pensar. Mas logo em seguida me habituei, tanto que na volta ao Brasil só pensava em inglês”, disse a estudante, que optou por ficar em alojamento durante as quatro semanas de estudos.

Mafe em Londres

intercâmbio teen - Pais em Apuros
Além de voltar para a casa com um inglês afiado e com o sonho realizado, Maria Fernanda também voltou com novos amigos do mundo inteiro e muitas experiências na bagagem.

Maria Fernanda contou ao Pais em Apuros que toda a viagem foi planejada em conjunto com a sua mãe, que a ajudou na escolha da agência e do formato do intercâmbio. Antes do embarque, a estudante fez um curso intensivo para se preparar melhor para a conversação e, chegando lá, fez um teste na escola escolhida para entrar em uma turma com o mesmo nível de conhecimento.

intercâmbio teen - Pais em Apuros
Intercâmbio Teen: Maria Fernanda em Londres

Além de voltar para a casa com um inglês afiado e com o sonho realizado, Maria Fernanda também voltou com novos amigos do mundo inteiro e muitas experiências na bagagem.

intercâmbio teen - Pais em Apuros
Intercâmbio Teen: A Maria Fernanda super indica 😉

“Como ficamos em  contato com pessoas de diversos países, aprendemos a lidar com os diferentes hábitos e costumes, somos levados a aceitar as diferenças e eliminar muitos  preconceitos. Eu amadureci bastante nesse período, pois tive que me virar sozinha com  pequenos problemas do dia a dia e isso me fez confiar mais em mim”.

***

Autor desta Publicação
Rafaella Teixeira
Jornalista, fotógrafa e viajante. Além de viver com a mochila nas costas, gosta de esportes, cultura de qualquer parte do mundo, cinema e música.

Escreva um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
X