Fique por dentro!

Assine e receba notícias sobre os seus assuntos favoritos do Pais em Apuros.

Assine e receba notícias sobre os seus assuntos favoritos do Pais em Apuros.

Descobrimos a graça de Minecraft

MINECRAFT

Minecraft - Pais em Apuros

Havia uma insistência: “Pai, compra o Minecraft, vai!”

Depois de um tempo, mais de ano, comprei o tal joguinho de videogame e…

– ETA!!! QUE PORCARIA É ESSA?

Minecraft - Pais em Apuros

Uma parada sem gráficos incríveis, sem histórias cativantes, sem lógica, sem nada.  Você pode sair montando uns blocos lá e pode quebrar tudo e do nada aparece um zumbi quadriculado e te mata. É isso. E ainda é chamado de “modo criativo”. Pelo amor de Mario! Não é possível um jogo com tamanha mediocridade ser sucesso entre a criançada!

Qual a graça de Minecraft?

Minecraft - Pais em Apuros

Mas dei uma chance e fui de camarote aprender com a Laura a jogar o tal “mainecrefiti“. Caçamos, criamos uma casa, matamos uns zumbis, aranhas e outros bichos e, depois de horas jogando, morremos de rir com as estranhices deste game tão bizarro.

Sou dos anos 80 e meio que acompanhei (de maneira ansiosa) a evolução dos gráficos. Era uma expectativa enorme saber como seriam os jogadores do próximo Winning Eleven. E quando eram lançados, cada detalhe era comemorado como um gol! “O Roberto Carlos cobra falta de longe!”

Nova geração. Novas prioridades.

Fonte BBC
Fonte: BBC

Essa criançada dificilmente viverá algo igual, pois já nasceu no mundo dos jogos fantásticos. Eles não se atraem com gráficos perfeitos. Eles já conhecem. O negócio pras crianças da segunda década de 2000 é praticidade. Elas são simples, rápidas e impacientes. Quanto mais o jogo demorar pra responder a qualquer coisa, mais desagrada.

Minecraft, então, pode até ser podre, zoado e fraco, mas é o que mais se encaixa no perfil destas crianças que parecem que nasceram pra solucionar mais rapidamente os problemas, porém sem o mesmo capricho dos seus antecessores. 

Por trás do jogo com cara de ultrapassado existe uma trama, que a Laurinha e os amigos sabem de cor, e mil possibilidades criativas. E o mais importante: as crianças se divertem. E muito! Vida longa ao Minecraft!

***

Guilherme Fuoco, 27, é pai da Laura há 8 anos, editor de texto do Globo Esporte e autor do livro “Papai Jovem – Não suma. Assuma!”- www.papaijovem.com.br

***

Padrim - Pais em Apuros

Clique para doar 🙂 

Autor desta Publicação
Guilherme Fuoco

Escreva um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
X