Fique por dentro!

Assine e receba notícias sobre os seus assuntos favoritos do Pais em Apuros.

Assine e receba notícias sobre os seus assuntos favoritos do Pais em Apuros.

Compra pra mim? Eu quero! Eu quero! Eu quero!

Compra, mãe?! Eu quero!!!

“Pai, compra pra mim”, “Compra, mamãe, compra! ”. Essas frases são comuns para a maioria dos pais. Tanto que é consenso entre educadores e psicólogos dizer que o “não” educa.  

Porém, essa negativa aos pedidos de compras dos pequenos não pode se dar numa lógica ditatorial no “não, porque não” ou do “Não, porque eu que mando. Porque eu não quero”. A criança precisa do contexto do porquê do não para realmente aprender com ele.

É muito fácil só dizer “não”

Crianças que pedem para comprar tudo - Pais em Apuros!
Lojas de brinquedos – A criançada pira!

Imagine a seguinte cena que o consultor financeiro Eduardo Amuri publicou na sua página do facebook:

Crianças que pedem para comprar tudo - Pais em Apuros!

A empolgação de uma criança dentro de uma loja de brinquedos ou no corredor dos ovos de Páscoa de um supermercado é parecida com a de um adulto no Salão do automóvel ou num brechó com roupas de grife a preços de banana. Ou então isso:

Lojas de brinquedo são viciantes

No entanto, os adultos contam com o discernimento sobre o tamanho dos seus bolsos. A carteira vazia e os boletos do mês são bons freios diante dos seus desejos impulsivos. Mesmo assim, adultos vivem se endividando por compras impulsivas.

Agora se coloque no lugar da criança. Uma criança reage ao mundo, sobretudo, de maneira impulsiva. E isso é um prato cheio para a publicidade e para as lojas, que aos olhos das crianças são INCRÍVEIS. 

Crianças que pedem para comprar tudo - Pais em Apuros!
Lojas de brinquedos – Partiu levar esse Hulkão pra casa.

Segundo a psicóloga Laís Fontenelle, do Instituto Alana: “Até os oito anos, ainda não há a capacidade de abstração necessária para diferenciar um conteúdo publicitário de um que não é. Se, nessa idade, a criança vir uma propaganda em que seu personagem favorito transmite a ideia de que ela tem de comprar determinado produto, ela vai querer comprar”.

Além de não diferenciar propaganda de “realidade”, a criança não tem discernimento sobre dinheiro. Logo, como afirmou o consultor financeiro, Eduardo Amuri, a criança num ambiente de fartura (seja de ovos de páscoa ou seja de brinquedos) é refém dos seus desejos e impulsos. Porque não tem repertório emocional e intelectual para lidar com tantos estímulos.

Aposentando o “na volta a gente compra”

Crianças que pedem para comprar tudo - Pais em Apuros!

A boa notícia é que dá para amenizar o apelo das lojas nas crianças e sem mentir para a criançada. Confira as nossas dicas.

1 Se você ainda não apresentou para a criança noções básicas de educação financeira não leve o seu filho à loja de brinquedos ou ao supermercado. Lembre-se, é como levar um alcoólatra num bar.

Antes disso ensine que as coisas custam dinheiro. Uma bolacha custa em média x. Uma boneca custa Y. Papai e mamãe trabalham para ganhar dinheiro. Dinheiro não é infinito, etc.

2 Feito isso, a dica seguinte é fazer listas de mercado na presença da criança. A lista deve mostrar o que você pretende comprar no supermercado. Deixe claro para a criança que o dinheiro é suficiente apenas para aquilo. Se possível, inclua um biscoito ou chocolate que ela queira na lista. Mas estabeleça um limite de preço e quantidade.  

3 Em caso de presente de aniversário ou de dia das crianças, muitos pais gostam de levar a criança para escolher o próprio presente. Nestes casos a dica vai na mesma linha. Leve a criança à loja de brinquedos, mas estabeleça um limite de preço e quantidade.

4 Dê exemplo. Não dá para o pai proibir uma criança de comprar algo dizendo que não tem mais dinheiro e em seguida sair de outra loja carregado de sacolas com coisas para si. É importante que os pais tenham coerência entre o que falam e o que fazem.

5 Segundo a psicóloga, Silvia Sá da ong Akatu,  “a criança é constantemente estimulada a consumir , mas no geral, está mais interessada na experiência positiva que a publicidade transmite do que no produto”.

Ou seja, mais do que brinquedos, as crianças querem a experiência positiva das propagandas. Então que tal tornar mais lúdica a ida ao mercado ou ao shopping?

Crianças que pedem para comprar tudo - Pais em Apuros!
Nas imagens superiores: Como vai ser.
Na imagem inferior: Como eles vão encarar a brincadeira.

Envolva os pequenos nas compras. Faça as listas com eles. Transforme a ida ao supermercado numa aventura de exploração dentro do carrinho de compras*. Desafie a criança a comprar o brinquedo mais legal possível com R$15,00. Estimule a educação financeira dando um pequeno valor para a criança e pedindo que ela mesma compre seus doces.

* (no específico para crianças)

Seja você a fonte de estímulos da criança. Afinal, nada mais delicioso para um filho do que uma tarde de aventuras com os seus super-heróis favoritos: os próprios pais.

***

Autor desta Publicação
Gilmar Silva
Jornalista e educador.

Escreva um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
X